Realidade ou fuga

Realidade ou fuga

postado em: Atitude, Pensamentos | 1

O Twitter sem dúvida é uma ferramenta que tem transformado o que jeito que de que as pessoas se comunicam, sem medo de errar podemos afirmar que ele tem elevado a comunicação a um estágio novo, nunca visto antes de velocidade, dinamismo e abrangência.

Através deste novo canal hoje em dia podemos estar muito mais perto de outras ideias, outras cabeças, este contato acaba de alguma forma ampliando nossos horizontes, através deste canal há algum tempo atrás pude conhecer um pouco mais de perto o Ricardo Gondim e desde então tenho ficado atento aos seus tweets. Recentemente o Ricardo Gondim postou em seu Twitter uma frase que me fez pensar bastante sobre o modo que as pessoas optam por viver a vida, segue a abaixo a frase do Ricardo Gondim postada na ocasião:

O verdadeiro dilema é: viver perigosamente ou neuroticamente. Realidade ou fuga, eis a questão!

É fácil reparar olhando redor que todas as pessoas tem uma forma diferente de ver a vida, tem uma forma diferente de encarar os problemas, algumas tem diferenças menores, outras são opostos completos. Em sua essência a vida é a mesma para todos, ela impõe dificuldades de certa forma parecidas. O que será então que leva as pessoas a viverem perigosamente ou neuroticamente? É correto viver perigosamente ou neuroticamente? Como diria o Max de Castro na música “Balanço Das Horas”:

Eu gasto hoje ou eu guardo pra amanhã? Sob o signo do quando eu observo o saldo.

Acho que diversos fatores podem formar uma postura ou outra em um indivíduo, mas acredito que um fator decisivo seja o grau de problemas e lutas que este indivíduo passou durante o seu tempo de vida, pessoas que desfrutaram de uma vida mais “tranqüila” tendem a fazer o tipo “viver perigosamente” e pessoas que tiveram uma vida menos “tranqüila” tendem a fazer o tipo “viver neuroticamente”, não que isto seja uma regra aplicável a todos os casos, nem que seja este o único fator, porém é uma característica do ser humano reagir quando submetido a pressão e quando deixado a vontade relaxar.

Nenhum dos dois jeitos de se viver é errado, esta é uma escolha muito pessoal de cada ser humano, é prudente pensar no futuro, mas indispensável viver intensamente o presente. Neste momento chego no ponto onde eu gostaria de chegar e aqui vou discordar do Ricardo Gondim, o verdadeiro dilema na verdade não é viver perigosamente ou neuroticamente, o verdadeiro dilema talvez seja encontrar o ponto de equilíbrio entre viver perigosamente ou neuroticamente.

Neste ponto de equilíbrio temos um pouco da segurança de se pensar no futuro e um pouco da alegria de se desfrutar com intensidade o momento, porém esta me parece uma vida morna, uma vida sem um posicionamento específico, não sou de direita, nem de esquerda, não digo que amo, mas não digo que odeio, isto sim é triste, isto sim não me faz ir para frente nem para trás.

Sabemos que a unica coisa que realmente temos é o nosso presente, não temos garantia de futuro, e o passado é passado, não volta mais e não pode ser mudado.

Gostaria de concluir agora e deixar como opinião pessoal que o dilema entre viver perigosamente ou neuroticamente, viver a realidade ou fugir, viver o presente ou futuro na verdade não deve existir. Só temos o presente, se existe um momento da nossa vida onde devemos de fato investir é o presente, não existe felicidade concreta no futuro, a unica coisa que temos da felicidade do passado é o sentimento de saudade, devemos ser prudentes em fazer um ótimo presente, assim teremos um ótimo futuro e com certeza ótimas lembranças do passado.



  • Bom te ver colocando suas idéias aqui no WordPress. Tbm tenho um…
    é gabrielabuenno.wordpress.com… Me visita por lá!!
    Abraços!!