Qual é o problema da travessia?

Qual é o problema da travessia?

postado em: Atitude, Pensamentos, Poesia | 0

É engraçado ver a euforia que a troca de períodos gera no coração das pessoas, é muito comum nos meses de Dezembro e Janeiro ouvirmos freqüentemente frases como: Mais um ano se foi! Mais um ano chega! Mais uma chance de começar! Mais uma chance de terminar! Este ano vai! Este ano vai ser o ano de minha vida! Vai com deus ano velho! Que venha o ano novo!

Não vejo problema nestas afirmações de ano novo, acho bonito o espírito de esperança, acho que todos merecem e precisam de uma chance de recomeçar, uma chance de deixar o velho para trás, uma chance de pensar no novo, porém gostaria de pensar neste assunto de uma outra forma. Gosto muito de uma frase dita pelo poeta Guimarães Rosa: “A coisa não está nem na partida e nem na chegada, mas na travessia”, esta frase nos remete a profundas reflexões, cria em nós uma inquietação interior, nos faz avaliar sobre que prisma observamos a vida.

Para mim a grande pergunta é: Qual é o problema da travessia? É complicado entender por que nós meros mortais não conseguimos manter o otimismo, não conseguimos ter a mesma energia da partida na chegada. É incrível o tanto de projetos que abandonamos no momento da travessia, é incrível como em meio a primeira dificuldade simplesmente caímos prostrados, ficamos choramingando, reclamando de nosso país, reclamando de nossas famílias, enfim, reclamando de tudo e de todos.

Todos estes pensamentos me levaram a fazer um paralelo de nossa vida com um barco fazendo uma longa travessia em muitos mares. Em meio a esta travessia  sempre vão existirão mares lindos e mares agitados, sempre existirão tempos de festa, e tempos de dor, sempre existirão encontros e despedidas.

Nesta travessia é de fundamental importância que neste barco haja uma tripulação corajosa, guerreira, destemida, uma tripulação que não tenha medo de encarar os perigos desta travessia, do contrário certamente morrerão, não conseguiram terminar a travessia.

Assim é a vida, cheia de altos e baixos, cheia de festas e dores, cheia de encontros e despedidas, torço para que passamos nos lembrar destas coisas em meio as travessias de nossas vidas e sempre sejamos corajosos, guerreiros e destemidos para encarar tudo com otimismo.

Termino este texto mais uma vez citando o poeta Guimarães Rosa, uma bela citação também feita pela presidenta recém-eleita Dilma Rousseff em seu discurso de posse:

O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.