São Paulo – isso não é amor, o amor é outra coisa

Uma quinta-feira puxada, o despertador toca uma, duas, três, dez vezes. A cama simplesmente me abraçou e não quer soltar. Em um esforço quase sobre humano de quem já está com as baterias baixas pela proximidade do final de semana … Conteúdo

Show Buttons
Hide Buttons